Oxente!

Não há asa branca no sertão sem a poesia de quem sempre cantou as coisas simples com a força de um rei!...

Nem a estética valentia de um outro xaxado!...
Ora, como não ser mestre com as mãos?...
O que dizer destas?...

Comentários

Postagens mais visitadas