Os amores de carnaval e sua quarta-feira de cinzas!


Por Gilvaldo Quinzeiro


O amor nasce por ‘trempes’ cujo fogo arde por lenhas afogadiças, e, nem sempre atiçadas por mãos, que sabem valorizar   um bom tempero!  Mas, enfim, é o fogo em labaredas! O do carnaval, então, enfrenta chuvas e tempestades! Mas, e a quarta-feira de cinzas?

Engana-se, porém, quem pensar que os amores do carnaval não têm também suas “trempes” ou seus arquétipos, aliás, três, se não, como formaria uma ‘trempe’?  São elas: Pierrô, Columbina e Arlequim.

Pierrô, este personagem que não sai de nós, especialmente no que diz respeito a uma paixão não correspondida, desta que se derrama por toda o carnaval, e torna fecundo de saudade com a quarta-feira de cinzas!

Ah ingratas Columbinas e sortudos Arlequins!

Columbina é destas mulheres que adoram machucar um coração, mas sempre acabam em mãos erradas, as do Arlequim. Bem feito?

Pierrô é esta figura desajeitada, ingênua e de quem todos se aproveitam, sem levar em conta que por trás de o seu sorriso, há uma lágrima permanentemente a cair! Coitado de mim também!

Arlequim, é do tipo esperto. Sabe usar bem seu galanteio, mas não consegue se prender a ninguém – oh pobre Columbina?

Enfim, quem é você nestes três dias de carnaval?  Quem de você lhe receberá no fim desta folia?

Seja como for, o carnaval se não bem brincado, poderá nos causar uma tremenda ressaca – destas em que se passará o restante do ano como se fora uma eterna quarta-feira de cinzas!

Meus amores, ótima terça-feira!


Comentários

Postagens mais visitadas