Que me perdoem os canalhas, mas os sapos são mais bonitos!



Por Gilvaldo Quinzeiro



Os homens são os únicos animais, aos quais se podem chamar de ‘canalhas’.  Podemos chamar um sapo de feio; podemos chamar uma cobra de venenosa, mas jamais de canalha!

Por que então temos que nos orgulhar de sermos ‘homens’?

A grande questão é a seguinte: os ‘canalhas’ propriamente ditos só se revelam em momentos cruciais como nas crises ou nas guerras, por exemplo.

O Brasil vive um momento de crise econômica e política, uma das piores da sua história, portanto, um momento fértil para os ‘canalhas’.

Há uma ‘fogueira acesa’ no Senado Federal por conta do processo de Impeachment da Presidente Dilma, em sua fase final, iniciada nesta semana. É fácil ser um ‘canalha’, o momento é favorável para comportamentos intempestivos -, o difícil, sim, é ser ‘homem’!

Nas ruas das nossas cidades, uma campanha eleitoral cujos candidatos se comportam como se o Brasil não vivesse uma crise ética e moral. De novo: as velhas promessas jamais cumpridas!

Enquanto isso, o povo assiste tudo como mero expectador de um ‘circo romano’.

A política brasileira tem sido um ninho de raposa: nada mais do que isso!

Que vivemos uma nova cruzada, disso não se tem dúvida. A questão é a bizarrice das nossas bandeiras!

Por fim, quantas ‘Joanas d’Arcs’ nos serão precisos para saciar a nossa canalhice?


Comentários

Postagens mais visitadas