O bicho da goiaba: quem nunca dele fez abstrações e comparações?



Por Gilvaldo Quinzeiro

 

Pois bem, a minha ilação de hoje é a seguinte, a economia mundial em nome de um crescimento desmedido e ambicioso – é o bicho da goiaba, isto é, quando se pensa que está no alto, eis que se encontra em queda livre rumo ao chão.

Os países emergentes, os BRICS, como são chamados, o Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul  são umas espécies de goiabas verdes que foram inchadas pelo bicho, de modo que, com o passar da euforia do mercado, parecem murchar.

A Europa também padece do mesmo bicho da goiaba. Ou seja, a sua economia é devorada por dentro – por fora só muitas especulações! Os Estados Unidos, como sempre,  de olho no zumbir dos besouros.

Por falar em zumbir dos besouros, as últimas crises econômicas, levaram o mundo para a guerra. Na crise atual, há um ingrediente a mais na fervura: a intolerância religiosa e racial.

Na África, berço da humanidade, a intolerância religiosa entre muçulmanos e cristãos, começa a dar origem a outro tipo de “bicho” – a guerra santa!

Mas, voltando a falar do bicho da goiaba. Que falta nos faz o tempo dos quintais! O bicho aqui era os meninos brigando para comerem goiabas verdes ou mangas verdes com sal. Lembram?

Pois é... os meninos de hoje são apenas consumidores de bugigangas! E o “bicho” é fazer desses meninos – homens maduros!

Zum-zum!

Comentários

Postagens mais visitadas