Espelhar- te em quem?

Gilvaldo Quinzeiro



Tudo é espelho, porém, a sua falta é o que nos faz quebradiço. Não seria o caso, sermos todos de vidro?

Ora, ao que foi dito se acrescenta: o ato de ver pode ser tão quebrante que se conservar inteiro, é não ter se visto em estilhaço.

A falta, esta sim, é o que nos impele; apressa só nos distancia daquilo que com a mão se alcança. O espelho, ainda que quebrado, nos preenche. Porém, quanto a nossa imagem, esta sempre nos escapole para, do lado de fora “fantasmarizar” o mundo.

O mundo é nosso naquilo em que os nossos próprios fantasmas o habita. Eis o espelho que nos cega, do contrário, quem se ver claramente nele?

Comentários

Postagens mais visitadas