Sim, nós existimos, mas pouca gente se dá conta disso!


Por Gilvaldo Quinzeiro


Enquanto procuramos a existência de vida em outros planetas, a nossa e possível única existência se passa completamente desapercebida: sim, a vida existe por aqui mesmo, mas quase ninguém consegue percebê-la.

Por incrível que pareça, a existência só é percebida, e incipientemente no exato momento em que a morte se avizinha: tarde demais! Uma pena a morte não vir mais cedo?

Eis a questão.

A pouco uma amiga me perguntava sobre o que é ser feliz? Respondi a ela: não há uma resposta padrão a esta pergunta, posto que, cada um tem a sua! A mesma amiga insistiu me perguntando:  e qual é a sua resposta? Ser feliz – respondi – é viver bem com o pouco, tornar-se melhor a cada dia, inclusive tornando-se uma melhor companhia para si mesmo!

Pensando bem, a felicidade é um dos engenhos mais complexos!

Pergunte a uma árvore o que é ser feliz? Bem, uma coisa é certa: uma árvore, em escala evolutiva, tem mais tempo de existência do que qualquer um ser humano.

Eu sempre achei que aquilo que chamamos de ‘consciência’ ou de subjetividade brotou das árvores! Um xamã falaria melhor disso.







Comentários

Postagens mais visitadas