A coisa, o bicho e o homem: tudo com a língua espigada!


Gilvaldo Quinzeiro



Foi-se o tempo das coisas em seu devido  lugar, ou dos bichos povoando apenas a nossa imaginação. Fértil imaginação, diga-se. Hoje, ou tudo se “homemficou”,  daí os olhos das coisas passarem a ser como os nosso, deixando os dos bichos mais arregalados ainda, ou tudo se “coisificou”, o que significa, entretanto, que “o espírito do homem” há muito tempo nos abandonou, e o das coisas, sobretudo o das coisas ainda não ditas,  nos espiga a língua como se apenas bichos fôssemos!..

Em outras palavras, “a coisa pegou”, e o que dela se fala (se é que se fala), é em tom de enforcamento. Ora, nunca os olhos tiveram arregalados apenas para as cordas!

E quanto à língua?

- Bem...Estou apontando exatamente para a sua!...






Comentários

Postagens mais visitadas