O berço, o bebê e o esquecimento: tempos grávidos de mães?

Gilvaldo Quinzeiro



Estamos apressados, disso ninguém tem dúvida. Apressa nos faz habitar lugar nenhum. E neste “lugar nenhum”, “o berço” é que lugar? Uma coisa, porém, é certa: enquanto os bebês esperneiam, o berço é o lugar  onde cada vez mais chegamos devagar!

Os bebês, coitados, já não lhes bastassem o impacto de nascer, ainda assim, são “fritos” pela nossa pressa que lhes esvaziam o berço.  Pena de mim, se agora mesmo acabasse de nascer!..

Quanto aos outros bebês que aos milhões nascem com seus berços apenas “enfeitados”: estão todos “grávidos” de  mães?

Não precisa se lembrar de responder esta questão: o esquecimento já é uma resposta imediata!...










Comentários

Postagens mais visitadas