Epístola a Leonardo da Vinci



Por Gilvaldo Quinzeiro

 

A cruz. Se não a fosse à de Judas, poderia ser a minha, a sua ou a de outrem. A humanidade segue a mesma: é somente com  muito sangue que se lava e devora as próprias mãos!

Não é que a história se repete, a questão é o que os homens continuam os mesmos: adoram oferecer a cabeça de outro como presente em ceia farta de hipocrisia!

Santo Leonardo da Vinci rogai por nós sem pintores à tua imagem e semelhança!

Bem-aventurados os que nunca herdarão a terra, mas amam o outro sem enfrentar a fila dos que vão para o céu!

Quem nos dias de hoje escolheria a sina de Júlio Cesar ante um Senado ameaçado pela sua sombra?

Que nos abundem os dias sem  que precisemos da bunda no lugar de nossas cabeças!

Amém!

 

 

 

 

Comentários

Postagens mais visitadas