A última selfie depois dos temporais


Por Gilvaldo Quinzeiro


Pois é, meu colega calango, você aí rígido à espreita da mosca, eu aqui mole me fazendo de sapo à espera “das águas baixarem”! Mas, não se apresse em tirar uma selfie: o mundo inteiro se afogou em vaidade!

Avise ao camarada camaleão que os disfarces suplantaram todas faces, porém, usar a própria língua como isca significa virar ‘peixe frito’ em pleno mar!

Enfim, o mundo viverá seus dias magros de ‘palito de fósforo’!

Clic!


Comentários

Postagens mais visitadas