Cuidado! Fidel Castro morreu!


Por Gilvaldo Quinzeiro


As mesmas condições humanas, que levam a um homem, quem quer que seja a lutar contra a desigualdade; contra a fome e a miséria são também as condições nas quais e pelas quais, este poderá vir a cometer a mais terrível das ‘barbáries’! A existência humana é, portanto, contraditória – tudo sustentado pela condição da carne e do osso. Ai dos ‘urubus’ sem os nossos escorregões e tropeços!

Se a morte de Fidel Castro, ocorrida ontem, e desejada por tantos há muito tempo e evitada por outros com o mesmo fervor, não provocasse este misto de alegria e tristeza, não seria a morte de um homem – seria a morte de um bode qualquer!

Fidel Castro (1926-2016) foi um homem da sua época, e como tal há de ser julgado pelas épocas futuras. O problema é: que futuro?

Ora, ora, meus irmãos qual a ‘materialidade’ da crise atual, senão a falta de homens! Quem quer que venha se propor a equacionar a crise atual, seja esta crise, local, nacional ou internacional, terá que pagar altos preços!

Homens como Jair Bolsonaro, o mundo está cheio – todos eles se achando já no céu! A questão é que não há ninguém pensando que todos nós somos cheios mesmos é de merda!

Uma coisa é certa: os últimos homens estão morrendo, sejam eles ‘bons’ para uns ou ‘maus’ para outros! A dúvida agora é quem será o ‘pós-homem’?

Em um texto abaixo, eu falei da ‘pós-verdade’, mas sinceramente, eu não quero estar mais aqui quando for para falar do ‘pós-homem’.

Cuidado! O mundo será de menos água para se beber e de muita ‘merda’ para se evitar! É isso que eu chamo de ‘seca de homens’!



Comentários

Postagens mais visitadas