Procurando os bois entre os bodes, primo?


Por Gilvaldo Quinzeiro


Seja quem for que estiver ‘vindo’, eu não posso esquecer quem eu sou! E quem eu sou, primo? Eis a grande questão!

Ao observar o quanto tudo se tornou tão volátil, eu começo a pensar o quanto ainda preciso juntar todas as pedras para não me tornar apenas numa ‘sombra’ de mim mesmo!

Parece simples isso, porém, saber que eu posso me transformar em qualquer coisa, inclusive numa mera sombra, é duro ser o tempo todo, eu mesmo! – conseguir isso, tem sido exatamente aquilo que ‘pago caro’ por não ser o Outro!

Por fim, quem quer que seja que esteja ‘vindo’, quando a sua mão eu a apertar, me darei por satisfeito em ter consciência que uma daquelas mãos, que se apertam é a minha!

Bom sábado a todos!






Comentários

Postagens mais visitadas