O cão e as amizades



Por Gilvaldo Quinzeiro

 
 

As conversas  de porta de casa. Quem delas não  sente saudade? Parece ter sido ontem. Mas se analisarmos bem, as conversas de porta de casa, estas,   ocorriam de fato no “outro mundo” – naquele que acabou sem ao menos nos darmos conta!

Sim, o mundo acabou! O que temos hoje é apenas dores de partos -  dá à  luz que é bom  - nada!

Hoje, as conversas só acontecem (quando acontecem) na fila dos bancos, e o assunto é: “fulano foi assaltado ontem à noite”. “beltrano caiu no golpe do sorteio do milhão”. “O filho de sicrano morreu de acidento de moto”. Até os velhinhos da zona rural, que antes quando encontravam  com um outro conhecido, perguntavam: “compadre já terminou a planta de arroz”? Hoje, infelizmente, o assunto não é mais este!...

“O bicho” pegou!

Pois bem, nestes dias de diálogos curtos e suspiros profundos, o homem em “carne viva”, não ver a hora de ser substituído pelas máquinas! Não seria melhor pelos cães?

Por falar em cães,  uma cena de um cão seguindo uma ambulância , que levava para o hospital um morador de rua, me comoveu bastante! Este fato ocorreu em Brasília. Já outro  caso, também envolvendo um cão, se deu no Rio Grande do Sul, onde um cachorro pacientemente aguardava na porta de um hospital,  o seu dono, um morador  de morador de rua, internado há 8 dias.

Como vimos, nestes exemplos, de todo, nada está perdido!  Ainda nos restam os cães a nos ensinar entre outras coisas, a importância da amizade!

 

 

 

Comentários

Postagens mais visitadas