Somos todos Átila, o Huno!


Por Gilvaldo Quinzeiro

 

O mundo fica cada vez menor. Só o nosso ego aumenta. Será por isso a necessidade do “pau do selfie”? – aquele sim é um pau grande!

Pois bem, é neste contexto em que a nossa imagem não cabe mais  no espelho  que estamos pisando sobre nós mesmos. A intolerância é só um sinal do nosso narcisismo infantil.

Ora, falar de ego inflado é chamar atenção para “o pão” que alimenta nossas verdades. Isto é, como não devorar o outro a despeito da sua palavra que nos causa fastio?

Na verdade, para sermos verdadeiramente imparciais, o dito mais adequado para o momento não é “Eu sou Charlie Hebdo”, e sim, “somos todos Átilas, o huno esquartejando uns aos outros”!

Veja a que ponto chegamos!  Será que os deuses pelos quais matamos, também estão com seus “egos inflamados”?  

A civilização parece ter seus limites, principalmente,  em se tratando que esta é erguida sobre os escombros de outras. Será que estamos diante de um contexto no qual os que estão sob a civilização se cansaram de se ver pela ótica dos nossos espelhos?

Mas, voltando ao famoso “pau de selfie”. Será este um aviso de que chegamos ao tempo de que a “cobra da imagem” já não se deve mais cutucá-la com varas curtas? Ou este é o “cajado” nas mãos de líderes presos a sua autoimagem?

Por fim, que o diabo não nos atente, diante do fastio que a palavra do outro nos causa!

 

 

Comentários

Postagens mais visitadas