A velha Europa, as raposas e as galinhas: uma união improvável?


Por Gilvaldo Quinzeiro





O texto abaixo acaba de sair do fogo. Mas não se trata de nenhum prato junino, e sim uma espécie de esforço digestivo para dar conta dos últimos acontecimentos mundiais, que envolve a saída da Reino Unido da União Europeia.
 Sei que de cara que o leitor poderá estar se perguntando: mas o que diabo isso tem a ver conosco? É o que vamos digerir a seguir...

Se antes a ‘globalização’ era o termo mais usado, quando se queria mencionar o futuro das relações econômicas internacionais, e outras que tais, hoje, 24 de junho, que também é de São João e de fogueiras, foi ‘queimado’ com a decisão do Reino Unido, de sair da União Europeia, conforme o resultado do plebiscito realizado no dia de ontem, quinta-feira.

O resultado, embora tenha surpreendido muitos analistas, faz parte de um novo contexto, ora vigente, o da polarização. Isto é, ao invés da ‘união’, o mundo agora se ver forçado a divisão. Basta ver o caso, do Brasil – dividido desde as últimas eleições -, o caso de país como a Venezuela, e agora o Reino Unido.

 Esta tendência a dualidade do momento, pode ser verificada também nas eleições dos Estados Unidos – mas nãos estamos falando da clássica divisão entre Republicanos e Democratas, e sim de um hiato mais profundo. O que ali está em jogo não é apenas um mero discurso de campanha, mas o controle do mundo – do mundo que parece ser mais hostil e mais complexo!

Em outras palavras, o mundo volta se interessar em responder a seguinte questão: “quem nasceu primeiro, foi o ovo ou a galinha”?

O que se ver, portanto, são as velhas raposas cansadas de protegerem o galinheiro, e agora passam a defender tudo como fora antes. Ou seja, é impossível a união entre a bicharada: que todos corram, quanto antes, pois aquele pacto acabou!

Voltando a Europa. A Alemanha, o país mais beneficiado desta ‘união’, despertava a tempo, uma certa desconfiança nos outros países, especialmente entre os ingleses, no sentido de que, “o galinheiro andava muito silencioso”, não obstante, a estranha movimentação...

E agora o que está por vir, nem mesmo o mais esperto entre os “macacos” arriscará a prever!  Vale aqui um ditado oportuno, “panela que muitos mexem, sai insosso ou salgado”.

Ficar o tempo todo de cócoras com os sapos, cansa, especialmente em época de seca.

Por fim, o que é certo é o seguinte: o velho mundo nunca deixou de ser um palco de disputa entre “lobos e cordeiros”.  A história sabe que há momentos em que um se funde no outro, mas o que está acontecendo neste exato momento é o contrário...

Avise os jabutis que andem mais depressa!



Comentários

Postagens mais visitadas