Corrupto tem sexo? Eis um curto ensaio sobre a nossa metamorfose política



Por Gilvaldo Quinzeiro

 

 

Entre a cobra e a lagarta o ponto comum é o serpenteio. Porém, se pudéssemos comparar a lagarta à condição humana, certamente seu anseio seria em se tornar serpente!

 A corrupção está para o brasileiro, assim como o ‘casulo’ está para a borboleta, isto é, tudo para um voo de pouco tempo, e ainda assim, desprovido de paraquedas.  Lá na frente rígidas teias de aranha à espreita!

Os morcegos são como nós: cegos!

Caxias na sua metamorfose política é ‘jaboti’, parada no tempo para si mesma; mas quanto aos interesses imediatos da sua classe política dominante é rápida e ágil como cobra.

Em metamorfose: uma oposição calango?

Por falar em metamorfose política, não posso deixar de me referir ao Raul Seixa – ele foi em certo sentido, o Antônio Conselheiro da curvatura do nosso tempo. Acrescento: o nosso tempo além de poroso é puído!

Por onde andam “os malucos beleza” do nosso tempo? Que fim tomaram? Por qual metamorfose passaram?

Neste texto, eu tenho a ousada pretensão de falar da sexualidade dos corruptos. Para ser mais sincero, eu defendo a tese de que, a corrupção X sexualidade não tem nada a ver. Por isso mesmo, há homens que preferem a primeira, ou seja, a corrupção.

Isso mesmo, os corruptos são aquela espécie de gente, “bicho”, melhor dizendo cuja genitália sofreu um deslocamento – para uns são as orelhas - para outros, as mãos!

Assim como duvido que os jovens de hoje ainda se masturbam, posto que, suas mãos já se satisfazem com o uso de celulares, os corruptos ‘gozam’ também por outros meios. Meios estes pelos quais se assemelham a vampiros.

Freud daria rizada com esta minha explicação! Eu também!

O ‘cérebro’ dos corruptos não é diferente dos jumentos. O mesmo não se pode dizer sobre suas genitálias. (Outra risada de Freud), e minha também!

Viva quem?

 

 

 

 

 

Comentários

Postagens mais visitadas