Em tempo de pressa, sexo ou achocolatado?


Por Gilvaldo Quinzeiro

 

Neste tempo onde a pressa se mistura com a prece -  ambos se constituindo o nó do mesmo cordão -  tudo enfim, apenas se infla, e, apesar do passar das estações, nada amadurece. Tudo é um enverdecer sem fim!

E quanto ao inflar-se, amigo, qual a razão da sua pressa por prece?

Pois bem, o inflar-se no afã de apoderar-se da ‘bola’, quando uma só ‘bola’ há, significa não jogar nada em tempo algum. É antes, um jogar sozinho - um abocanhar-se de uma só vez a oportunidade do jogo coletivo.

O sexo, digo, o ato sexual é da ordem daquilo que também se infla. Mas não um inflar-se antes do outro: é preciso muita tática e técnica para que no afã do gozo não se avance o tempo do outro. Às vezes, por uma questão de segundos, somos ‘driblados’ pela falta de fôlego. E o resultado? – fim de jogo!

Não há, pois, melhor dicionário ou enciclopédia sobre sexo que não o ato em si, mesmo que isso signifique uma ‘escrita borrada’, um garrancho numa folha branca de papel. Sexo não é só vontade, mas também um fazer que exige disciplina. Não é à toa que há milhares de anos na Índia este tema é levado a sério. O sexo tântrico é o exemplo do que estamos falando. Aqui, isto é, no sexo tântrico, o ato sexual é por demais ‘sagrado’.

Que maravilha! É neste âmbito que vale a pena ser humano!

Sexo é lisura, ainda que suas linhas sejam completamente tortas. Ou seja, a lisura aqui é no sentido de não se deixar cair por qualquer certeza: tudo é mesmo o afundamento das coisas. Das coisas que se inflam como bola e das coisas que como bola nos faltam o fôlego para inflá-las.

Eu resumiria tudo isso numa só equação: “para cada coisa há um fôlego. Para cada fôlego à espera dos frutos de uma nova estação”.

A pressa, dos nossos dias, meus amigos, nos transforma em meros ‘roedores’. Toda a carne nos é apresentada como crua, mas não hora de comê-la, abocanhamos só a nossa fome. Isso explicaria por que em alguns lugares haja quem prefira chocolate a sexo?

Por fim, na dúvida, não responda com pressa. Pense antes nos motivos da sua prece. Ajoelhe-se se possível.  Peça conforme a sua fome. Mas pelo amor de Deus, nunca misture coco com pedras!

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Postagens mais visitadas