Tudo: merda!

Gilvaldo Quinzeiro



Quão de pão precisam os cães , quando já não há mais “ palavras” que aos homens sustentam? Ora, se é para tocar nas feridas da civilização como negar que esta também não se alimenta de sangue?

Fino o vinho para grossas cabeças e línguas afiadas – afinal o que há que não seja a barbárie?

Nada: pra pouco penico!

Comentários

Postagens mais visitadas