Que troquemos a face pelos pés!


Por Gilvaldo Quinzeiro






Os pés são por outros princípios e caminhos, a face esquecida. Nos primórdios dos tempos, onde caminhar era antes de tudo, sobreviver a qualquer custo, cuidar dos pés, foi um gesto pelo qual não só se antecipou ao espelho, como a abriu caminho também a necessidade de maquiagem.

Se aqui chegamos, onde quer que estejamos, não foi pelos motivos que nos fazem plantar os permanentes disfarces da face, mas, pelo esfolar dos pés sem disfarce algum!

Ora, hoje toda e qualquer ostentação é ‘caminho’, paradoxalmente, em muitas faces, que não sabem o quanto doe ter minimamente, os pés no chão!

O gesto de Jesus Cristo lavando os pés dos seus discípulos, são ‘os olhos’ para muitas reflexões. Aprender não só sobre o ato simbólico de Jesus, mas sobretudo, com a sua concretude, seria quase um caminho andado!

De todos os gestos humanos, ou que dos humanos se esperam, a humildade, certamente, é único que não exige retoques.

Os caminhos, quaisquer que sejam, são plantados por gestos. Mas a ida ou o retorno, exigem mais do que fotografia de rostos bem-sucedidos. Em outras palavras, é preciso colocar os pés na estrada.

Nesta passagem de ano, isto é, de mais uma caminhada cumprida, chegamos enfim, num ponto onde o passado, presente e futuro se cruzam. Chegamos aqui com que ‘face’? Seguiremos em frente com a necessidade de que ‘maquiagem’?

Pobres pés ou pobres faces cansadas?

Uma feliz reflexão a todos!

Feliz 2016!




Comentários

Postagens mais visitadas