Separando as vírgulas...



Por Gilvaldo Quinzeiro

A vida é uma longa carta a ser decifrada a cada falta de fôlego. De sorte que, quanto mais se complica em sua rebuscada escrita, corre-se o risco de nada se decifrar, e postergar suas reticências.

 É melhor, pois, se contentar com os rabiscos!

Neste exato momento pelo turvar da vista, interpreto já sem levar em conta os sinais de pontuações, a minha seguinte escrita: verdadeiramente, nada sou daquilo que longamente pensei ser, e pelo correr das linhas tortas, também não serei nada daquilo que ainda me resta.
  
Definitivamente, tudo é borrão; erros e tentativas de recuperar o fôlego, para, assim, recomeçar desde o cabeçalho!





Comentários

Postagens mais visitadas