O massacre numa escola do Rio: a nossa face na de quem?

Gilvaldo Quinzeiro


O massacre de 12 crianças ocorrido na manhão de ontem, numa escola pública do Rio de Janeiro, orquestrado por um ex-aluno, revala uma "face" que não gostaríamos que fosse a nossa. Porém, que queiramos ou não, agora a nossa face é também a do mundo.

A questão que se levanta é: com quais faces vamos enfrentar este fato, no sentido de evitar que as outras ocultas possam de novo nos surpreender?

A "face" que antes era a de outrem, agora não tem como esconder: está no cotidiano que nos espelha!

Pois bem, num mundo onde a "maquiagem" substitui a face que nos revela, a que estamos usando agora é a de quem?

No sentido "raso" que nos tornamos, somos todos "fundamentalista". Não no sentido de profundidade, mas, pelas opções "superficiais e suicidas" nas quais nos ancoramos!

Comentários

  1. Bom, acredito eu que a maioria das pessoas tem duas faces, ou melhor melhor dizer:duas caras, exitem aqueles que conseguem desenvolver ate mais de caras, esses devem ser ser os caras de paus... quem somos diente de tantas mentiras!!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas