Um tempo sem as suas estações?

Gilvaldo Quinzeiro



Ai de nós no “Saara” que nos adentra em festejados estilos de vida que nos secam!

Fósseis, e não vida, eis o que prospera no mundo em que só se contempla!

Raros sorrisos pra tão caros dentes em bocas esculpidas pra serem mudas, quando as outras se escancaram por perto!

Finos cabelos pra fortes tempestades: quem não se arrepia com “o tempo” fora de estação ou com a “estação” que demora um tempo todo sobre os casebres?

Comentários

Postagens mais visitadas