Com quantos olhos, os da violência enxergarão que os nossos já estão cansados?




Por Gilvaldo Quinzeiro


A violência é cega. O seu olhar, porém, é o nosso! O rojão que vitimou o cinegrafista Santiago Andrade foi certeiro – e ai quem afinal estava cego? E quanto o caso daquele adolescente que foi amarrado num poste por um grupo de justiceiro no bairro do Flamengo, na cidade do Rio de Janeiro, abrirá os olhos de quem?

E os jovens da nossa cidade, Caxias, que andam cegos em suas motos, abrirão suas cabeças, no lugar onde deveria usar o capacete?

A violência, portanto, tem cara, não uma apenas, mas várias. O difícil, porém, é ter olhos para enxerga-la. A corrupção dos nossos políticos é a mais escancarada! Contra ela, insurgem novas caras, ainda que “mascaradas”?

As pichações nos muros e fachadas dos prédios já não nos grudam mais nos olhos. Hoje, estamos com os olhos grudados nas redes sociais – são estes os mesmos olhos que arrancam os dos outros da cara?

Com a aproximação da realização da Copa do Mundo no Brasil, onde para cá estarão voltados os olhos do mundo inteiro, corremos os riscos de dispensarmos os nossos, pois, aqueles (os do mundo) são maiores? Que olhos estarão na bola e que outros estarão na carne?

Logo mais, os olhos dos candidatos que concorrerão nestas eleições, que acontecem também no ano da Copa, estarão fixos para os nossos, mas com que “cara”?

Descanse a vista para saber!...




Comentários

Postagens mais visitadas