Pular para o conteúdo principal

Sinais de Água em Marte! E na Terra, pelos sinais da nossa boca seca, o que dizer daquilo que se só encontra em gotas?


Gilvaldo Quinzeiro



De repente, um sinal de água em Marte!! É o que nos falam as imagens pescadas do fundo dos vales marcianos pela sonda Mars Reconnaissance Orbiter.
  
Oba!

Este texto, porém, não falará desta provável descoberta de água em Marte, por mais que tal noticia seja um motivo de festas, mas chamará atenção para a escassez de água no planeta Terra cujo futuro se tornará tão parecido com o presente de Marte?

Recentemente num programa de uma rede de televisão, assisti que o local exato onde João Batista teria batizado Jesus Cristo, no rio Jordão, já secou.  Ora, não é a falta simplesmente d’água para o batismo desta ou daquela religião que está em jogo, é a vida que está por uma gota só! Situação esta   cada vez mais agravada naquela região pela  guerra na Síria, onde os milhares de refugiados se somam a população dos países vizinhos, numa realidade onde a água parece sim, coisa de outro mundo!

Em São Paulo estamos assistindo a população de algumas cidades, a se dá conta do quanto a falta d’água pode encolher, o progresso e toda uma vida que o órbita. Ou seja, sem água, somos apenas o barro seco!

Falta d’água num pais onde a sua principal fonte de energia é das hidrelétricas -  encher as lamparinas é um sinal de prudência!

Ora, falar da falta d’água em São Paulo é uma coisa. Já a seca no Nordeste que todos os anos é “sagrada”, é não ter água nem para conseguir chorar, um pouquinho sequer! ...

Veja o quanto a água é importante: Não mais conseguir chorar a sua falta, esta é sim, a seca de tudo!!

Mas voltando a falar dos tênues sinais da presença d’água em Marte. Cada vez mais me convenço que somos de lá. E se assim sendo, já estamos aqui em estágio bem avançados daquelas mesmas condições que nos fizeram vir para cá(?). A questão agora é: que outro planeta nos receberá sabendo da nossa sede por desertos?









Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A roda grande passando pela pequena

Gilvaldo Quinzeiro


No imaginário caboclo, desde a fundação de Canudos no sertão da Bahia (1893-1897), onde a seca e a fome fizeram da “fé” a enxada que escavava a solidariedade de um povo sem chão, o mito “da roda grande passando por dentro da pequena” foi sem dúvida nenhuma uma das mais engenhosas invenções da saga de Canudos.

A idéia de que uma “ roda grande passará por dentro de uma pequena,” é simplesmente assustadora e instigadora de uma reflexão. Seria esta passagem correspondente ao fim do mundo? Que roda grande é essa? Quem viverá para presenciar tal profecia?

O fato é que ainda hoje este mito sobrevive no imaginário nordestino, sobretudo no meio rural provocando apreensão e “matuteza”. Canudos ainda resistem?

Pois bem, às vésperas das eleições, o cenário montado, onde cabos eleitorais empunhando bandeiras e distribuindo “santinhos” dos candidatos, chamando atenção do povo - é de uma natureza tal que inspiraria um cordelista a escrever versos numa visão apocalíptica adver…

A FILOSOFIA CABOCLA, RISCAR O CHÃO.

Gilvaldo Quinzeiro

O caboclo quando risca o chão está pensando. Aliás, no caboclês ou no nheengatu se diz matutar. Riscar, pois, o chão com a ponta dos dedos, significa manipular com as mãos o abstrato, ou seja, pensar usando a “cabeça dos dedos”, termo bem apropriado para a filosofia cabocla. Diga-se de passagem, que a “filosofia cabocla” é única que tem explicação para tudo, do contrário o que seria o viver destes homens? “Quem não pode com a” rudia não pega no bote” - diz assertiva cabocla.
Besta é quem pensa que matuto não vive de matutar! Aliás, nas condições enfrentadas pelo caboclo, o pensamento que não corresponde à praticidade, é o mesmo que riscar o chão com o dedo para depois ter o risco apagado pelo vento, o que levou em seguida o caboclo a fazer uso de um graveto para, não obstante as intempéries continuar o seu pensar, isto é, riscando o chão.
Riscar o chão com o graveto em substituição aos dedos, não só significou apenas deixar marcas humanas mais pr…

Metáfora da natureza

A natureza....

quando ouvida no mais profundo do nosso silêncio...

nos dá ouvido

nos enraizando os sentidos... que dialoga quando se dá atenção....

nos fazendo ver além... o belo...