Quinzeirando uns versos



Quinzeirando uns versos
Ao amigo Gilvaldo Quinzeiro

 

não sou homem da caverna pra me deixar
encarcerar pelo medo ou pela inação...

talvez seja eu o homem da lanterna a desafiar
o escuro e os assombros dos seus casarões...

prefiro ser prisioneiro das pernas dela,
do coração... melhor não, seu Platão!

deixemos nossas almas passearem,
ao sabor do sol da liberdade, de enlaçadas mãos.

CARVALHO JUNIOR (Francisco de Assis Carvalho da Silva Junior). Quinzeirando uns versos. Caxias-Maranhão: Arquivos Poéticos do Carvalho Junior, 2014.

Comentários

Postagens mais visitadas