Uma refelxão sobre o fim dos dias da criança


Por Gilvaldo Quinzeiro

 

A criança. Há milhares de anos atrás, um casal fugia para o Egito com toda  a pressa possível  para garantir a proteção do seu único filho, das ameaças de uma certa “ordem vigente”. Em jogo,  toda uma infância que desencadearia com toda  uma história. A criança, enfim,  conseguiu chegar   lá no Egito, assim, como seus pais, sã e salva. E quanto, a infância de hoje, quem salvará dos interesses sutis, mas reais, em acabá-la? A infância ainda não acabou? Eis a reflexão do nosso texto de hoje. Que dia é hoje?

Dia 12 de outubro,  dia da criança. E os outros dias do ano são de quem? De quem disse que só um dia do ano, é o “dia das crianças”! Que absurdo, não?

O dia das crianças é todos os dias do ano!  Mas, como?  E os presentes? Os gastos? O presente, verdadeiro se faz com  a Presença – dos pais, principalmente! O resto é pacote, etiqueta, fita, cores, sons, pirulitos  e outros que tais, entendeu,  meu filho?

Ora, que discurso retrógado  é este? Assim vão se fechar  todos os shoppings, os cinemas, as lojas de doces e de chocolates! Isso é uma afronta à economia! O mundo vai acabar? Meu Deus!

Que seja! Que se quebrem os modelos econômicos! Que se fechem todos os armazéns e fábricas! Que se acabe este  mundo!

O que de fato não se devem  acabar nunca – são   os quintais com seus cheiros e plantas ;  os terreiros de casa a nos convidá a sentar no chão,   e sobretudo ,  a afetividade no meio familiar! Mas não foi exatamente isso que se acabou? Sim, e com isso, a infância também!

Meu Deus, a onde estávamos?

Só agora eu me dou conta de  que a infância é à base que sustenta todo o adulto, ou seja, a fase para a qual se deveriam se voltar todas as atenções! Mas, como, se só temos “um dia para a criança”. E os outros?

Sim, os outros dias do ano,  o MEU  tempo é para EU dedicar aos meus NEGÓCIOS ; a minha faculdade; o meu MESTRADO, a vida PESSOAL! EU também sou gente, SABIA?

E quem vai cuidar da FAMILIA? Das CRIANÇAS?

Ah!  MEU Deus está no CONTROLE!  EU faço MINHAS  orações TODOS OS DIAS!

Ora, ora, minha amiga se você não tem TEMPO  nem para fazer COCÔ direito, orar COMO? A quem? Pra quem?  Eis o PARTO  fácil, mas sem luz alguma!

Mas voltando, ao Egito – MÃE  de todas as nossas tradições ou a fonte que saciou as sedes de todos os peregrinos das nossas vidas desertas. É no Egito  Antigo, pois,  que estão cravadas a mais bem sucedida experiência sobre O TEMPO. Do tempo ETERNO, se é possível,  assim,  se dizer.

Eh, meu rei, pelo jeito teremos que  fazer também a nossa fuga, e com  mais urgência para o velho Egito. Do contrário, quais desses nossos MENINOS irão se transformar em nosso SALVADOR?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

Postagens mais visitadas