Um tom de cinza para os nossas dias de varas curtas. E se fosse 50?



Por Gilvaldo Quinzeiro


Enquanto lá fora  os aviões são derrubados dos céus por “varas de futucar coco”; e em outras partes, os caminhos por terra são abertos com bombas, pois, para a paz faltam-lhes pombas(?) - ,  uma chuva de escritores morrem por aqui provocando de uma só vez,  uma seca na nossa cultura.  Talvez até na cultura viveremos dias de tanta sede!!

Em outras palavra, parece que o “tom de cinza”  dos nossos dias, pegou a todos nós de varas curtas. E via de regra, nestas ocasiões, só as algemas se fincam, pois, a carne já ficou mole demais!... Imagine, 50 dias!

Pois bem, nestes dias em que  já pegamos de 7 a 1, se fosse de 4, até que poderíamos ser aproveitados em filme pornô  - ,  uma vaca trepada sobre um poste de iluminação pública – é patada bem em cima daquilo que teima em permanecer duro!

Então como não dizer nestes dias, ai? Ou seria melhor dizer ui?

Ora, como se não bastasse ver o coração de dezenas de crianças sendo dilacerados pelos mesmos que, em outros tempos dispararam  contra a testa do gigante Golias, uma pedra como arma disponível -  ainda tenho que ouvir destes  que somos nós, os  seus anões?

Meu Freud! Com quantos tons de cinza eu apago o fôlego?




Comentários

Postagens mais visitadas